Credenciamento CONMEBOL Libertadores e Sulamericana

A Associação de Cronistas Esportivos do Brasil – ACEB – manteve entendimentos com a Confederação Sulamericana de Futebol – Conmebol – para tratar do credenciamento dos cronistas esportivos brasileiros na volta dos jogos das competições Copa Libertadores e Copa Sualmericana.

A Conmebol decidiu, dadas as adversas condições sanitárias provocadas pela pandemia do novo coronavírus nos países onde se disputam estas competições, que somente as emissoras detentoras de direitos de transmissão terão acesso aos estádios.

A medida é uma exigência das autoridades sanitárias convocadas pelos dirigentes da Conmebol, que condicionaram a volta do futebol em nível internacional na América do Sul à limitação do número de pessoas nos estádios de futebol.

Embora não possam entrar nos estádios, os jornalistas/radialistas poderão participar das entrevistas coletivas através de uma plataforma implementada pela área de mídia da Conmebol.  O registro deve ser feito em: media.conmebol.com

Depois de aceito seu registro, o profissional de imprensa poderá ter acesso a fotos dos jogos e transmissão em streaming das entrevistas coletivas. Para fazer perguntas o credenciamento deve começar pelas assessorias de imprensa de cada clube que atue como mandante nos jogos.

Leia o protocolo completo da volta dos campeonatos da CONMEBOL


http://ww.conmebol.com/sites/default/files/esp-protocolo-de-operaciones-eg-2020-v3.pdf

Protocolo de Imprensa é atualizado pela CBF

A CBF emitiu a terceira atualização da Diretriz Técnica Operacional das Competições, que traz mudanças no protocolo de imprensa.

A solicitação de credenciamento para os jogos do Brasileirão Série A, Série B, Série C e Copa do Brasil continua a ser feita através do sistema da CBF, porém o prazo foi reduzido de 72h para 48h antes de cada jogo. (http://credencial.cbf.com.br/competicoes).

Os jogos do Brasileirão Série D terão credenciamento realizado pelas associações de cronistas de cada Estado.

Todos os profissionais devem utilizar proteção facial (máscara) como equipamento de proteção contra o contágio do coronavírus. No caso dos narradores (TV e Rádio) é permitido o uso de escudo facial (face shields).

Os profissionais serão posicionados na arquibancada. Também podem ser utilizadas cabines abertas (uma cabine para cada Rádio) com 1 ou 2 profissionais (no máximo) do mesmo veículo.

Recomenda-se a leitura do documento completo no site da CBF ou clique aqui.

Nota 2 ACEB - Retorno Campeonato Brasileiro 2020

Caros cronistas esportivos,

A ACEB manteve várias reuniões com a CBF nas últimas semanas, em busca da elaboração da melhor forma possível de credenciamento de imprensa para a volta das competições nacionais. Este documento, que ora publicamos, resume as melhores possibilidades da volta da imprensa aos estádios neste momento ainda crítico da pandemia em nosso país. Se possível for, faça seu trabalho jornalístico de modo remoto, em home office, até que melhores condições sanitárias se apresentem. Mas, se precisar ir aos estádios, procure seguir rigorosamente os preceitos estabelecidos pela CBF em conformidade com as associações de cronistas esportivos e as autoridades de saúde. Proteger sua vida é proteger seu ofício.

Leia aqui as definições para o credenciamento 

Nota ACEB - Retorno Campeonato Brasileiro 2020

Caros Cronistas Esportivos Brasileiros,

Estamos às vésperas do reinício das competições de âmbito nacional, promovidas pela CBF, que foram interrompidas ou adiadas devido à pandemia do novo coronavírus.

A CBF estabeleceu um protocolo (disponível do site da CBF) que impõe restrições a todos os setores: clubes, federações, funcionários de estádios, força pública e imprensa, seguindo orientações da OMS.

A Associação de Cronistas Esportivos do Brasil – ACEB – entende que a limitação de profissionais nos estádios se faz necessária e deve ser compreendida por todos. Entende, porém, que quem deve estabelecer a prioridade entre os veículos sejam as associações de cronistas esportivos, e não a CBF. Quem tem expertise e conhece os veículos e profissionais de imprensa mais assíduos e capacitados na cobertura jornalística é a entidade de classe e não a entidade promotora do desporto.

Desta forma, ACEB – em nome de suas associações estaduais de cronistas filiadas – está ponderando junto à CBF para que seja revisto no Capítulo 4, item 5, inciso II, a redação que diz “o credenciamento será feito pela CBF”, acrescentando a frase “em consonância com as associações de cronistas esportivos”, pelo motivo já descrito acima. Da forma como está proposto, o protocolo da CBF fere a Lei 12.395/2011, em seu artigo 90-F, que estabelece que os cronistas esportivos, em serviço, tem direito a acesso aos estádios.

Ao mesmo tempo, propomos aos cronistas esportivos que tiverem condição de transmitir as partidas ou cobrir os eventos de maneira não-presencial aos estádios que o façam. Proteger a saúde é proteger seu ofício. Ainda estamos vivendo o auge da pandemia em muitos estados. À medida em que os índices de saúde forem se tornando favoráveis, haverá consequente flexibilização para o acesso ao trabalho, inclusive da imprensa.

Diretoria da ACEB

Márcio Martins – Presidente

Alex Bagé – 1º Vice Presidente

Paulo Roberto Pereira – 2º Vice Presidente

PROTOCOLOS DE RETOMADA DO FUTEBOL

Até esta data - 22/06/2020 a CBF não decidiu quando serão retomados os processos de realização dos campeonatos nacionais das séries A, B, C e D, tampouco a Copa do Brasil.
Neste momento, ainda em meio à pandemia do novo coronavírus, foram priorizadas as conclusões dos campeonatos estaduais, de acordo com as condições sanitárias de cada estado.

O primeiro Estado a retomar sua competição de futebol foi o Rio de Janeiro. Foram criados protocolos de saúde para a segurança de todas as pessoas envolvidas - atletas, técnicos, profissionais de apoio, policiais, jornalistas, etc.
No caso do Protocolo de Imprensa a ACERJ (Associação de Cronistas Esportivos do Rio de Janeiro), filiada à ACEB, elaborou um documento detalhado para a volta da cobertura do futebol, protocolo este revisado por médicos dos clubes e um infectologista, e aprovado pelas autoridades sanitárias da prefeitura e do governo estadual.

Estes procedimentos podem servir de base para que outras associações estaduais elaborem seus protocolos de atuação dos profissionais de imprensa, adequando às características próprias de cada lugar.

Confira aqui o protocolo da ACERJ